Sul-mato-grossense condenado no STF vai pedir anulação do julgamento do 8/1

Advogado considera injusto o julgamento em grupo do crime e vai pedir individualização das condutas

A defesa do campo-grandense Eric Prates Kobayashi integra a lista de 29 réus que foram condenados nesta segunda-feira (5) pelo STF (Supremo Tribunal Federal) pelos atos antidemocráticos de 8 de janeiro de 2023 vai recorrer da decisão.

De acordo com o advogado réu, Hélio Júnior, o pedido de anulação vai se respaldar no pedido de individualização das condutas. “Não concordamos com a condenação sem individualização das condutas. A alegação de grupos multitudinários não merece prosperar”, ponderou.

Eric trabalhava como carteiro, nos Correios e deixou a função em 2013. Ele estava no grupo de moradores de Mato Grosso do Sul que ficou preso no Centro de Detenção Provisória II, na Papuda.

O bolsonarista fazia parte da caravana que saiu do Estado para participar dos movimentos antidemocráticos na capital federal, após a vitória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nas eleições de 2022. Na ocasião, ele fez parte do grupo que invadiu e depredou as sedes dos Três Poderes, em Brasília (DF).

Os condenados terão de pagar ainda indenização por danos morais coletivos, no valor mínimo de R$ 30 milhões. A quantia será quitada de forma solidária com todos os condenados pelos atos antidemocráticos.

Todos os réus foram denunciados pela PGR (Procuradoria-Geral da República) pelos crimes de associação criminosa armada, dano qualificado, tentativa de golpe de Estado, abolição violenta do Estado Democrático de Direito e deterioração de patrimônio tombado.

Botão Voltar ao topo