Projeto leva poética musical de Geraldo Espíndola a estudantes

Alunos de sete estabelecimentos de ensino da Rede Municipal (Reme) estão vivendo uma experiência de grande importância artístico-cultural em Campo Grande, com a presença do cantor, compositor e instrumentista Geraldo Espíndola. É o Projeto “Nossa Escola Canta”, que além de promover o conhecimento mais íntimo da produção musical e poética regional, também estimula o acesso às artes no ambiente escolar.
Realizado pela Quiquiho Produções, o projeto é financiado pelo Fundo Municipal de Investimentos Culturais (FMIC), da Prefeitura de Campo Grande, com apoio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur) e da Secretaria Municipal de Educação. Sua execução é nos meses de agosto e setembro.
As escolas da Reme que participam: E.M. Irmã Edith Coelho Netto, E.M. José Dorileo de Pina, E.M. Professora Ione Catarina Gianotti Igydio, E.M. Doutor Plínio Barbosa Martins, E.M. Desembargador Carlos Garcia de Queiroz, E.M. Elízio Ramirez Vieira e E.M. Professora Eulália Neto Lessa. Em todas elas, a música apresentada por Geraldo Espíndola propõe um encontro entre os alunos e as poesias musicais que envolvem seus sonhos, realidades e descobertas, sempre com o olhar humanista.
REFERÊNCIA – Um dos criadores da música popular urbana em Mato Grosso do Sul, com alcance interterritorial, Geraldo Espíndola é uma das mais talentosas e significativas referências do cenário artístico brasileiro. De seu Estado, as composições que produz ganham terreno dentro e fora do País. São músicas que combinam influências universalistas com recortes temáticos regionais, exaltam riquezas naturais e reforçam apelos em favor do desenvolvimento sustentável, da pluralidade humana e dos povos originários.
Neste conjunto de inspirações, Geraldo Espíndola produz há várias décadas canções que se tornaram verdadeirois hinos, entre os quais as belíssimas “Quiquiho”, “Cunhatayporã”, “É Necessário”, Solidão do Capiria” e “Vida Cigana”, diversas delas regravadas por dezenas de artistas, entre os quais Almir Satter e Lecy Brandão. Calcula-se que “Vida Cigana” já conbtabiliza cerca de 60 regravações.
Para os estudantes, esta é também uma oportunidade que o projeto dá a uma expressiva parcela da população que nem sempre ouve estas canções no rádio ou em outros meios de exibição. Geraldo Espíndola compõe com esta preocupação, até porque suas letras conduzem mensagens focadas em causas nobres, como o amor, a paz, a convivência e demais contrapontos a todas as formas de violência.
(Edson Moraes – DRT/MS 857)

Botão Voltar ao topo