Prefeitura recua e afirma que não cortará atendimento adulto 24h no Tiradentes

Depois de informar que pensava em acabar com o atendimento adulto 24 horas no CRS (Centro Regional de Saúde Dr. Antônio Pereira) do bairro Tiradentes, a Secretaria de Saúde de Campo Grande voltou atrás e negou que tivesse considerado a mudança. Durante a tarde, moradores da região convocaram protesto para a manhã de quinta-feira (16), em frente à unidade, contra a suspensão.

Depois da repercussão negativa, em uma segunda nota oficial, a prefeitura chamou a notícia de “rumores” e garantiu que “em nenhum momento considerou essa possibilidade, mesmo estando em pleno estudo da ampliação no atendimento da especialidade da Pediatria na Rede Municipal de Saúde”.

A afirmação é totalmente diferente da repassada pela manhã, também de forma oficial.

Nesta quarta-feira, moradores do Tiradentes reclamando dos planos de suspensão do atendimento adulto 24 horas no CRS. A comunidade teve conhecimento do projeto durante reunião dos conselheiros da região urbana do Bandeira, realizada na noite de terça-feira (dia 14), no auditório da Planurb (Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano).

Após ouvir os representantes do bairro, a reportagem questionou a Secretaria de Saúde que confirmou “que o projeto está em fase de concepção” e que “inicialmente foi escolhida a estrutura do CRS Tiradentes para abrigar esse pronto atendimento infantil, com o objetivo de proporcionar um atendimento qualificado para as crianças”.

Na ocasião, a Sesau ainda justificou que a “ideia é que os atendimentos adultos sejam direcionados, sobretudo aqueles de menor gravidade, para a Unidade de Saúde da Família, que fica no complexo do Tiradentes. Essa unidade já funciona até às 22 horas, então o quadro profissional dessa unidade também estaria sendo reforçado para poder absorver essa demanda e aí com o funcionamento até às 22 horas seria possível atender de fato essas outras pessoas, os adultos no caso”.

Botão Voltar ao topo