Pré-candidatos a prefeito de Camapuã se unem em frente para concorrer com Manoel Nery

Entre os pretendentes que se reuniram com Reinaldo Azambuja estão Marcelo Duailibi, Uniao Brasil, Luiz Gonzaga, do PP, Leandro Borges do PSD, e Rosalin e Chitão, do PSDB

As primeiras movimentações com vistas à sucessão do prefeito de Camapuã Manoel Nery já começaram e colocam numa frente postulantes de várias legendas, como Leandro Borges, pré-candidato do PSD, Marcelo Duailibi Uniao Brasil, Luiz Gonzaga, pretendente do Partido Progressista (PP), e dois postulantes do PSDB, o ex-vereador Chitão e o ex-prefeito de Figueirão, Roberto Rosalin que transferiu seu domicílio eleitoral para Camapuã logo que cumpriu seu segundo mandato no município desmembrado de território camapuanense na década de 1990.

Ponto relevante no lançamento da frente que tem o PSDB como carro-chefe foi a presença de Reinaldo Azambuja, presidente estadual da legenda tucana, e de Sérgio de Paula, principal articulador político do partido.

No encontro, além de Rosalin e Chitão, o PSDB recebeu outras lideranças e deixou as portas abertas para os dirigentes de outros partidos discutirem meios de integrarem uma frente suprapartidária capaz de concorrer em pé de igualdade com o atual prefeito Manoel Nery.

O ex-vereador Chitão afirmou que havia informações dando conta de que o prefeito da cidade teria ficado insatisfeito com a movimentação dos pretensos pré-candidatos. Mas ele afirmou que já havia dito ao prefeito Manoel Nery que era peão de Deus, da população de Camapuã e do Reinaldo Azambuja.

“Estamos juntos com o Reinaldo há mais de 20 anos, ganhando ou perdendo. O Reinaldo nunca nos deixou na mão. Ele sempre fez compromisso comigo e sempre cumpriu. Tenho enorme gratidão por ele e, dessa forma, onde ele estiver eu estou junto” afirmou Chitão.

O ex-vereador e jornalista Averaldo Fernandes de Oliveira, dirigente municipal do PDT, também participou da reunião e deve integrar a frente, apesar de não ter apresentado oficialmente um postulante à condição de pré-candidato a prefeito.

PALAVRA DO PREFEITO – Procurado pela reportagem, o prefeito Manoel Nery disse que não ficou insatisfeito. Pelo contrário, ele entende como natural no processo democrático que os eleitores qualificados e no gozo de seus  direitos político-eleitorais pleiteiem o direito de ser candidato a cargos eletivos.

Ele disse, porém, ter achado estranho que todos os candidatos possivelmente se unam contra ele no pleito que se avizinha. “Isso acaba sendo uma boa avaliação do nosso trabalho, pois se é preciso todos se unirem contra nós, é sinal de que estamos fortes e se estamos fortes é porque estamos administrando bem e estamos no caminho certo” avaliou.

Botão Voltar ao topo