Levando até assessor para a praia, vereadores esbanjaram na “farra das diárias” –

Eleitos para elaborar leis e fiscalizar ações das prefeituras, os vereadores provaram em 2023 que, literalmente, quem tem limite é município. Eles viajaram Brasil adentro, garantindo que as farras das diárias não saíssem do noticiário. Num dos episódios mais emblemáticos, vereadores da Câmara de Sidrolândia levaram até assessores para a praia, tudo custeado com o dinheiro do cidadão.

Em março, o grupo partiu de Sidrolândia, a 71 km de Campo Grande e com 60.792 habitantes, para Natal, a turística capital do Rio Grande do Norte.

Consulta ao Portal da Transparência da Câmara de Sidrolândia, mostra que os vereadores Cristina Fiuza (MDB), Elieu da Silva Vaz (PSB), Izaqueu de Souza Diniz (Patriota) e Enelvo Iradi Felini Junior (PSDB) receberam diárias de R$ 11 mil pela viagem. Os dois assessores tiveram direito a diárias a de R$ 9.900. Todos participaram do “Encontro Nacional de Legislativos Municipais”. –

A mais de 3.500 quilômetros de Natal, o município de Sidrolândia, que elegeu os vereadores, tem moradores com renda média de dois salários-mínimos, conforme dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Ou seja, precisaria juntar todo o salário por quatro meses para obter os R$ 11 mil pagos em diárias a cada vereador pelo deslocamento entre 14 e 17 de março.

Os parlamentes se uniram na justificativa de que a diária é um direito e que viajam em busca de conhecimento para apresentar bons projetos. A situação foi levada ao MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), que já tinha procedimento sobre o caso.

Mas em agosto, o presidente da Câmara Municipal de Sidrolândia, Otacir Pereira Figueiredo (PP), suspendeu as diárias e indenizações concedidas a servidores e vereadores. –

Botão Voltar ao topo