Japão anuncia fim do embargo à importação de carne de aves de MS após caso de gripe aviária

De acordo com o Governo do Estado, o Japão anunciou oficialmente nesta sexta-feira (20) o fim do embargo às exportações de  de frango e ovos produzidos no . A suspensão ocorreu há exatamente um mês, após a confirmação do primeiro caso de gripe aviária no Estado.

Até agosto de 2023, o mercado japonês representou 19% do total das exportações de carne de frango produzidas em Mato Grosso do Sul. O Japão é o segundo maior mercado consumidor dos itens do Estado depois da China.

Ainda de acordo com o Governo, o fim da restrição ocorre devido a ação conjunta com o Ministério da Agricultura, por meio da Semadesc e da Iagro no controle do caso confirmado e isolado de gripe aviária em uma propriedade rural de .

Caso de gripe aviária controlado em MS

O vírus da influenza aviária de alta patogenicidade (IAAP – H5N1) foi detectado em uma propriedade em Bonito, a 297 km de Campo Grande.

Esse é o terceiro foco em aves de subsistência registrado no Brasil. Segundo o Mapa, além desses casos, o Brasil registra 102 notificações em aves silvestres, totalizando 105 registros.

No caso de Mato Grosso do Sul, cerca de 70 aves na propriedade de Bonito serão sacrificadas como medida sanitária. De acordo com o diretor-presidente da Iagro-MS (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), Daniel Ingold, será feita coleta de amostras de todos esses animais.

MS está em alerta para a doença desde junho

Em 2 de junho, o Governo do Estado publicou decreto onde declara Estado de Alerta Zoossanitário em Mato Grosso do Sul devido à gripe aviária. Na publicação ainda institui o Sistema de Monitoramento, avisos e ações para fins de prevenção da doença.

O decreto foi uma resposta estadual diante da declaração de estado de emergência zoossanitária estabelecido pelo Mapa (Ministério da Agricultura e Pecuária) em todo território nacional, por 180 dias, em função da detecção da infecção da gripe aviária em aves silvestres no Brasil.

Botão Voltar ao topo