Governo atende educação e estende benefício a quem ganha até 3 salários

O Governo Estadual anunciou esta manhã que todos os servidores administrativos  efetivos que ganham até três salários mínimos receberão auxílio-alimentação de R$ 300. A decisão foi comunicada há pouco, após uma reunião entre o governador Eduardo Riedel (PSDB), secretários, e sindicalistas que representam servidores da educação.

A informação inicial era que esta manhã seria analisada somente a situação dos administrativos da área, que pediam o reajuste do valor atual- R$ 100,00, mas o Governo decidiu por comunicar a extensão a todos os servidores, que acaba por atender, ao todo,  8,6 mil pessoas. A pauta ganhou destaque mês passado, após ser aprovado projeto reajustando o piso dos professores, quando os administrativos reivindicaram a elevação do auxílio.

Após selar o acordo com representantes da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e do Sinfae (Sindicato dos Administrativos da Educação), o governador comentou a extensão do auxílio para todos os administrativos. “O Governo tem uma política clara e objetiva de valorização dos nossos servidores”, afirmou. A estimativa é de incremento de R$ 23 milhões/ ano na folha com a concessão aos servidores, considerando que para a educação, que soma cerca de 6 mil administrativos, ocorrerá somente aumento.

O secretário de Governo e Gestão Estratégica foi um dos que participaram das articulações. “Essa conquista mostra sensibilidade do governador com os servidores efetivos que ganham até três salários mínimos já no seu primeiro ano de gestão”, comentou Pedro Caravina.

A secretária da Administração, Ana Carolina Nardes, também estava na reunião e falou sobre a extensão do valor do auxílio a todos os administrativos que ganham até 3 salários, que vai valer a partir de janeiro. “Vamos fazer uma alteração no Decreto do Estado para que a gente possa fazer o pagamento do benefício, que vai atingir todos os servidores efetivos nessa faixa a partir de janeiro de 2024”, explicou.

Enquanto acontecia a reunião, um grupo de servidores administrativos da educação se reuniu em frente à entrada do receptivo do Parque do Prosa, onde ocorria o encontro, para pressionar pelo aumento do auxílio. O grupo veio de Aparecida do Taboado. O movimento acabou sendo solitário, porque houve uma mobilização inicial da Fetems, que depois desmarcou o ato que ocorreria, mas o grupo decidiu vir mesmo assim para reivindicar o reajuste.

Botão Voltar ao topo