egras para hemoterapia veterinária e mais 5 propostas são analisadas na sessão da Câmara desta quinta

Os vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande analisam, na sessão desta quinta-feira (07), três vetos e três projetos. Os trabalhos têm início às 9h, no plenário da Casa de Leis da Capital.

Em única discussão e votação, segue para análise o veto total ao projeto de lei n. 11.022/23, do vereador Prof. Juari (PSDB), que institui o programa “Escola Feliz” em Campo Grande.

 

Também o veto total ao projeto de lei n. 11.062/23, de autoria do vereador Prof. André Luís (Rede), que trata da obrigatoriedade de intérprete e tradutor indígena nos atendimentos prestados por órgãos públicos na cidade.

E ainda o veto total ao projeto de lei n. 11.148/23, que estabelece regras para o funcionamento dos estabelecimentos que prestam serviços de hemoterapia veterinária em cães e gatos no município. A proposta é do vereador Zé da Farmácia (Podemos).

Já em primeira discussão e votação, os vereadores apreciam o projeto de lei n. 11.011/23, do vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), que altera a lei n. 5.657/16, que obriga a inclusão e reserva de vagas na Rede Municipal de Educação para crianças e adolescentes com TEA (Transtorno do Espectro Autista).

 

Também será votado o projeto de lei n. 11.096/23, de autoria do vereador Prof. Juari, que dá ao imóvel público municipal, denominado E.L.U.P 1420, localizado no bairro Aero Rancho, o nome de Praça Ari Flores.

E, por fim, o projeto de lei n. 11.151/23, que dispõe sobre o prazo de validade do laudo que atesta deficiência permanente no município. A proposta é do vereador Ayrton Araújo (PT).

Palavra Livre

Durante a sessão, Elzio Moreira da Silva, responsável pela ONG Flores e Passarinhos, utilizará a Tribuna para falar sobre a área militar abandonada em seu bairro. O convite foi feito pelo vereador William Maksoud.

Botão Voltar ao topo