Desigualdades expostas: conheça o perfil dos candidatos ao Enem em Mato Grosso do Sul

Porta de entrada para o Ensino Superior, desde 1998, o  (Exame Nacional do Ensino Médio) avalia o desempenho escolar dos estudantes ao  da educação básica e democratiza o acesso aos cursos de graduação em universidades públicas e particulares do país. Neste ano, mais de 3,9 milhões de pessoas se inscreveram em todo o país.

A partir da nota do Enem é possível concorrer a vagas em programas do MEC (Ministério da Educação), como o Sisu (Sistema de Seleção Unificada), ProUni (Programa Universidade para Todos) e Fies (Fundo de Financiamento EsTUDANTIL.

Em Mato Grosso do Sul, 47.470 pessoas se inscreveram no exame. Desse total, 29.035 inscritos se identificam pelo gênero feminino, ou seja, 61,28% do total, enquanto e 18.435 pelo masculino, cerca de 38% dos candidatos.

Mais de 61,28% dos inscritos em MS são mulheres (Madu Livramento, Midiamax)

Os dados são do levantamento realizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e revelam o perfil de quem ingressa nas universidades do país.

Candidatos autodeclarados pretos são 38% menos que brancos em MS

prova enem
Imagem ilustrativa (Reprodução)

Dados do Inep mostram que, no recorte de raça, o número de candidatos brancos se sobressai de forma exponencial se comparada as demais. Dentre os candidatos, 22.303 se consideram brancos (46,98%), 18.700 pardos (39,45%), 3.631 pretos (7,66%), 1.245 indígenas (2,63%) e 1.010 amarelos (2,13%). Outros 581 não declaram a raça.

Número de candidatos autodeclarados pretos é 38% menor que brancos em MS (Madu Livramento, Midiamax)

Vale destacar que a porcentagem de pretos, pardos, amarelos e indígenas inscritas é baseada na autodeclaração feita pelo candidato no ato da inscrição, ou seja, é preciso que a pessoa se autodeclare preta para ser assim tida como tal.

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), é considerada preta a pessoa de ancestralidade africana, desde que se autodeclare assim. A identificação é feita com base de características fenotípicas, isto é, os aspectos visíveis da aparência de uma pessoa e também pela sua ascendência (pais e avós).

Indígenas representam apenas 2% dos candidatos

Apesar de Mato Grosso do Sul concentrar a terceira maior população indígena do Brasil, com 116,3 mil pessoas, conforme o censo do IBGE, o número de candidatos autodeclarados com essa etnia é o 6º maior dentre os estados, com 1.245 indígenas inscritos, o que corresponde a 2,36% do total.

Desde 2012, a Lei de Cotas determina que candidatos  (Pretos, Pardos e Indígenas) podem concorrer a vagas exclusivas em instituições de ensino superior públicas desde que tenham estudado os três anos do ensino médio na rede pública.

No percentual de vagas reservadas, 50% é para estudantes com renda familiar de 1,5 salário mínimo por pessoa e a outra metade com renda maior que esse valor. Em cada faixa de renda, há vagas para candidatos autodeclarados PPI. Essas oportunidades entram na categoria de cotas raciais. Em 2017, PcDs (Pessoas com Deficiência) passaram a fazer parte das vagas destinadas à Lei de Cotas.

Candidatos fazem provas do Enem nos dias 5 e 12 de novembro (Foto: Marcello Casal JR/Agência Brasil)

Mato Grosso do Sul tem mais de 80 idosos inscritos no Enem

Em relação à faixa etária, os dados revelam que a maioria dos candidatos inscritos, cerca de 26%, tem 17 anos, idade regular de estudantes concluintes do ensino médio. Enquanto o menor número de candidatos está na faixa etária ‘menor ou igual a 60 anos’, com 89 candidatos em todo Estado.

A média de idade dos candidatos em Mato Grosso do Sul segue a seguinte ordem:

MS tem mais de 80 idosos participando do Enem (Madu Livramento, Midiamax)
  • 17 anos: 12.379 (26,11%)
  • 21 a 30 anos: 8.253 (17,42%)
  • 16 anos: 7,185 (15,16%)
  • 18 anos: 6.394 (13,46%)
  • 31 a 59 anos: 4.530 (9,56%)
  • 19 anos: 3.241 (6,83%)
  • Menor que 16: 3,225 (6,81%)
  • 20 anos: 2.174 (4,58%)
  • 60 anos ou mais: 89 (0,19%)

Nível de escolaridade revela perfil de quem ingressa no Ensino Superior

enem
Enem em Campo Grande (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Quando analisado o nível de escolaridade dos candidatos, a maioria deles cursa o 3º ano do ensino médio, cerca 17.857 participantes, o que reflete diretamente no perfil de quem ingressa nos cursos de graduação no país.

283 inscritos não estão nem cursando e também não concluíram o Ensino Médio (Madu Livramento, Midiamax)
  • Cursando último ano do ensino médio – 17.857 (37,65%)
  • Cursando o ensino médio, sem conclusão em 2023 – 7.836 (16,56%)
  • Ensino médio concluído – 21.494 (45,35%)
  • Nem cursando, nem com ensino médio concluído – 283 (0,60%)
Exame Nacional do Ensino Médio, Enem (Foto: Marcello casal Jr/Agência Brasil)

Atendimento especializado

A Política de Acessibilidade e Inclusão do Inep garante atendimento especializado aos participantes inscritos no Enem. Em todo o Brasil, 38.101 participantes PCDs solicitaram atendimentos específicos, entre as deficiências relatadas pelos candidatos estão:

38.101 participantes PCDs em todo o Brasil (Madu Livramento, Midiamax)
  • Autismo 6.044
  • Baixa visão 6.504
  • Cegueira 577
  • Deficiência auditiva 113
  • Deficiência física 5.173
  • Deficiência intelectual (mental) 3.073
  • Déficit de atenção 13.686
  • Discalculia 471
  • Dislexia 1.135
  • Surdez 64
  • Surdocegueira 7
  • Visão monocular 1.254

Vale ressaltar que gestantes, idosos, estudantes em classe hospitalar e lactantes também têm direito a atendimento especializado. No caso das lactantes que precisam amamentar nos dias do exame, é necessário comparecer ao local de prova acompanhada de um adulto, que ficará em sala reservada com o bebê.

Cronograma

Em 2023, as provas serão realizadas em dois domingos, nos dias 5 e 12 de novembro.

Os gabaritos das provas objetivas serão publicados no dia 24 de novembro no portal do Inep. A previsão é que os resultados individuais sejam divulgados no dia 16 de janeiro de 2024.

Botão Voltar ao topo