Deputados de MS em primeiro mandato gastaram R$ 3,6 milhões em 2023 –

Entre fevereiro e dezembro de 2023, deputados estaduais e federais de Mato Grosso do Sul, de primeiro mandato, gastaram R$ 3,6 milhões da Ceap (Cota para Exercício da Atividade Parlamentar). O montante do dinheiro publico foi usado para pagar despesas rotineiras dos parlamentares, com viagens, alimentação, além de serviços de consultoria e divulgação.

São cinco deputados estaduais, que participam das sessões na Assembleia Legislativa em Campo Grande e fazem visitas aos municípios de Mato Grosso do Sul, e três deputados federais, que também cumprem agendas em MS, além de atuar na Câmara dos Deputados, em Brasília.

O montante da cota a qual têm direito não inclui os salários dos parlamentares, que são de R$ 31,2 mil para deputados estaduais e R$  41,6 mil para deputados federais.

Ranking – O portal MS em Brasília levantou os valores e fez o ranking dos gastos apenas dos parlamentares novatos.

Com despesa de R$ 505,9 mil durante o ano, o deputado estadual Rafael Tavares (PRTB) lidera o ranking dos gastos dos parlamentares novatos. Ele superou por pouco o valor da deputada federal Camila Jara (PT), que utilizou R$ 495 mil.

Tavares revelou que 80% desse valor foi usado para despesas com assessoria jurídica e justificou os gastos, reafirmando sua bandeira de parlamentar de direita.

“Além das dezenas de processos que eu sofro de políticos de esquerda, faço muitas fiscalizações, requerimentos, mais de 30 projetos de lei apresentados e sou o líder de indicações na Casa. Vou usar todos os recursos disponíveis para entregar resultados à população e combater a esquerda”, disse Tavares.

O deputado Pedrossian Neto (PSD) ficou em terceiro lugar, tendo gastado R$ 482,8 mil. Em quarto lugar está o deputado federal Rodolfo Nogueira (PL) com despesas de R$ 473,1 mil.

Em seguida, está o deputado estadual João César Mattogrosso (PSDB), com gasto de R$ 470,4 mil. “Nada a declarar a não ser: análise da produtividade do mandato; ⁠quem mais nos atacava na Câmara hoje é campeão, mas se tiver produtividade…”, comentou João César, referindo-se a Tavares, o deputado que mais gastou durante o ano em que não economizou nas críticas à gestão do governador Eduardo Riedel, que é do PSDB.

Os que menos gastaram foram a deputada estadual Maria Imaculada Nogueira, a “Lia Nogueira” (PSDB), com despesas de R$ 465,6 mil; o deputado federal Marcos Pollon (PL), com R$ 387,3 mil e a deputada estadual Gleice Jane (PT), com R$ 359,4 mil.

Gleice, no entanto, tomou posse em 11 de abril de 2023, assumindo a vaga deixada pelo deputado Amarildo Cruz, que morreu no dia 17 de março.

Rodolfo destacou que em outro levantamento, no portal Ranking dos Políticos, ele foi classificado como o deputado que menos gastou, no quesito antidesperdício.

“Do total de R$ 1,8 milhão de verba parlamentar que tenho direito, eu gastei apenas R$ 807 mil, economizando 55% , assim, fui um dos que menos gastou com verba de gabinete. A maioria dos gastos foi com passagem e com divulgação da atividade parlamentar. Tenho direto a divulgação do meu trabalho no parlamento e entendo ser essencial tal divulgação para combater as narrativas esquerdistas, informando a verdade e mostrando meu trabalho para todo MS”, disse Rodolfo.

O Campo Grande News fez contato com os demais parlamentares e suas assessorias e aguarda resposta com comentários sobre seus gastos durante 2023. – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Botão Voltar ao topo