Deputado admite ter fumado maconha e chama colega de caduco –

Após ser chamado de “drogado”, o deputado estadual Neno Razuk (PL) rebateu acusações feitas pelo deputado federal Geraldo Resende (PSDB), sobre sua sanidade mental e envolvimento com drogas. Durante a manhã desta terça-feira (3), em sessão na Assembleia Legislativa, Neno Razuk usou a tribuna para falar sobre o assunto. No discurso, chamou Resende de “caduco” e admitiu já ter fumado maconha durante a adolescência. Porém, ressaltou que não vai tolerar acusações. –

“Não sou usuário de drogas, na minha adolescência sim, fumei maconha, não me orgulho. Quem precisa fazer um teste é o Geraldo, porque ele tem o cérebro pobre, ele está senil. Vim hoje aqui novamente porque ele me atacou diretamente, o Geraldo está caduco, ele precisa ajudar as pessoas que sofrem com dependência e não me acusar de usar.”

Razuk também afirmou que o próximo encontro com o colega será na justiça e que vai processá-lo por calúnia e difamação. “Não vou deixar passar em branco, vou processar porque ele é mentiroso, mentiroso, mentiroso. Vou falar três vezes pra não dizer outra coisa. Seu sem vergonha”. Ele também pediu a moção de Geraldo ao presidente da casa.

Resende teria pedido que Razuk fizesse testes que comprovam, segundo ele, a dependência do parlamentar. Em resposta, Neno pediu que Resende fizesse um teste de sanidade mental.

Confusão – O desentendimento aconteceu após Resende ter dito recentemente que a população douradense tem ‘dedo podre’ por não saber escolher o prefeito da cidade. Para Razuk, a fala do colega demonstra infantilidade e a não aceitação da derrota.

A deputada estadual Lia Nogueira (PSDB) se incomodou com a fala de Resende e afirmou que os douradenses são inteligentes e sabem votar. “Eles sabem o que querem, o ano que vem é eleitoral e com toda certeza o eleitor vai repensar na escolha que fez na última eleição”.

Para ela, Geraldo precisa ser responsabilizado com moção de repúdio. “Ele fez muito, mas não é Deus. Tem muita gente que acha que é Deus, o Geraldo tem certeza que é”.

Quem também se pronunciou sobre a confusão foi o deputado estadual Zé Teixeira (PSDB), que questionou a sanidade mental de Resende. “Eu não entendo ele. Não estou entendendo porque ele está assim. Ele foi eleito por Dourados. Realmente acho que ele não está bem”, declarou.

Ao fim da reunião, o pedido de moção de repúdio foi acatado pela Assembleia, com 21 votos favoráveis e nenhum contrário. –

 

Botão Voltar ao topo