Briga em rancho e 4 horas com corpo em carro: o que se sabe sobre morte de psicóloga e prisão de filho

Preso depois da morte da mãe, a psicóloga Simone do Nascimento, de 47 anos, neste fim de semana em , a 338 quilômetros de , o rapaz contou durante seu depoimento que teria sido ‘abandonado’ por Simone na estrada momentos antes do acidente.

Segundo o jovem de 24 anos, a mãe o convidou para conhecer um lugar novo, que seria o rancho, onde os dois passaram o domingo (7). Eles compraram  e bebidas para levar para o local. Durante o trajeto, ele disse que a psicóloga foi dirigindo o carro e estava feliz.

 

Já no rancho, eles beberam, mas segundo o rapaz não ficaram alterados. Em determinado momento, ele foi pescar e havia outras pessoas no local, sendo que resolveu pegar uma  no colo, e a mãe o teria alertado que a família não havia gostado e que era para irem embora, mas resolveram ficar mais um pouco.

Segundo o rapaz, eles saíram do rancho por volta das 16 horas e Simone estava no volante e passou a ficar agressiva, mas não o agrediu fisicamente. Ela questionou o filho sobre seu celular e o ‘abandonou’ na estrada. Ele, então, passou a ir embora a pé, mas a mãe acabou voltando para buscá-lo.

Dessa forma, o rapaz resolveu dirigir e Simone foi para o banco ao lado dizendo que iria se matar. O rapaz, então, disse que havia trancado as portas da frente, mas a psicóloga foi para o banco de trás abrindo a porta e se jogando do carro. Ele parou o veículo e pegou a mãe a colocando dentro do veículo novamente.

 

Segundo o rapaz, ele levou a mãe desacordada primeiro para a casa de sua avó, que o mandou levar para a casa dos pais dela, e em seguida ele foi para a casa de seu pai, que não estava. O jovem ficou com a mãe machucada e desacordada dentro do carro por cerca de 4 horas até a levar para uma unidade de saúde.

Simone só foi socorrida quando o filho a levou para a casa de seus avós maternos que acionaram a ambulância. Ele foi preso por omissão de socorro e por embriaguez ao volante.

O rapaz possui boletim de  de violência doméstica registrado contra a mãe. Exames iniciais indicam que a vítima sofreu agressões. O caso está em investigação.

Botão Voltar ao topo