A decisão de criar a estrutura na região pantaneira foi para atender principalmente serviços ambientais, como o combate às queimadas, segundo divulgou a Seilog (Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística), mas também para assistência aos pantaneiros em situações de emergência, para o turismo e também trânsito de quem vive ou trabalha na região. Na temporada de chuvas, há destinos no Pantanal em que o acesso pela via terrestre torna-se impossível. Quando divulgou um plano de investir R$ 250 milhões na infraestrutura aeroportuária, com 20 unidades, o governo informou que o local terá estrutura para bombeiros e para a aeronave Air Tractor, que abastece um tanque e transporta água para combate a incêndios florestais. Além dele, está nos planos do governo criar outra pista na região do Morro do Azeite, que fica próxima ao Rio Miranda e a lugares conhecidos, como o Passo da Lontra e o Buraco das Piranhas. O plano do governo para aeródromos incluiu unidades em 19 cidades, com a criação de pistas, como no caso dos locais do Pantanal, reforma ou ampliação e ainda cercamento. Entre as cidades constam Bonito, que já tem aeroporto; São Gabriel do Oeste, cuja pista de cascalho receberá pavimento, e Água Clara e Inocência, cidades com a economia em expansão por conta da celulose e a obra ocorrerá em parceria com a prefeitura.

O Governo do Estado recebeu uma área de 12,35 hectares no Pantanal da Nhecolândia para instalar uma pista de pouso pavimentada de 1 quilômetro de extensão por 23 metros de largura, incluindo um pátio de serviço. O empreendimento vai ser projetado por empresa selecionada pela Agesul ( Agência de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul), com o contrato publicado essa semana, ao custo de R$ 262,4 mil.

A decisão de criar a estrutura na região pantaneira foi para atender principalmente serviços ambientais, como o combate às queimadas, segundo divulgou a Seilog (Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística), mas também para assistência aos pantaneiros em situações de emergência, para o turismo e também trânsito de quem vive ou trabalha na região. Na temporada de chuvas, há destinos no Pantanal em que o acesso pela via terrestre torna-se impossível.

Quando divulgou um plano de investir R$ 250 milhões na infraestrutura aeroportuária, com 20 unidades, o governo informou que o local terá estrutura para bombeiros e para a aeronave Air Tractor, que abastece um tanque e transporta água para combate a incêndios florestais.

Além dele, está nos planos do governo criar outra pista na região do Morro do Azeite, que fica próxima ao Rio Miranda e a lugares conhecidos, como o Passo da Lontra e o Buraco das Piranhas.

O plano do governo para aeródromos incluiu unidades em 19 cidades, com a criação de pistas, como no caso dos locais do Pantanal, reforma ou ampliação e ainda cercamento. Entre as cidades constam Bonito, que já tem aeroporto; São Gabriel do Oeste, cuja pista de cascalho receberá pavimento, e Água Clara e Inocência, cidades com a economia em expansão por conta da celulose e a obra ocorrerá em parceria com a prefeitura.

Botão Voltar ao topo