Executado com mais de 60 tiros no Rouxinóis era investigado por receptação, segundo denúncia do MPMS

João Paulo Maldonado Osório, de 27 anos, que foi executado com mais de 60 tiros no Conjunto Residencial Recanto dos Rouxinóis, em Campo Grande, na noite dessa quinta-feira (28) era investigado por receptação culposa, conforme denúncia do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

O rapaz foi surpreendido em março de 2021 escondendo uma Toyota Hilux, de cor prata, fruto de um estelionato cometido em outubro de 2020, em um galpão no Jardim Morenão. Ele teria recebido o valor de R$ 15 mil como penhora.

Dentro do galpão tinham vários veículos escondidos com restrições criminais e possivelmente drogas. Foram realizadas diligências pela polícia civil, por intermédio da  (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), que entraram no imóvel e se depararam com vários veículos.

No galpão, o qual o rapaz se apresentou como proprietário, também foi encontrado um patinete motorizado à gasolina, com motor de motocicleta adulterado. João Paulo teria admitido que sabia do motor com numeração adulterada.

Execução

Na noite de quinta-feira (28), João Paulo foi executado a tiros em uma conveniência no Conjunto Residencial Recanto dos Rouxinóis, em Campo Grande. Ele estava com um amigo quando os atiradores chegaram em uma motocicleta.

Botão Voltar ao topo